©2018 by Crítica e Diálogo. Proudly created with Wix.com

Não Espeficidadx

November 1, 2019

 

 

 

Não é de hoje que estamos discutindo gênero e sua inserção na sociedade totalmente regrada e cheia de preconceitos. Mais uma vez o teatro utiliza-se da proximidade social para tentar explorar cenicamente novos diálogos com o público. O que poderia se tornar só mais um espectáculo, entre tantos outros com a mesma proposta, acaba surpreendendo o público pela escolha de como trazer para a cena uma profundidade nos tópicos levantados. Se observar a narrativa do espetáculo - Não Especificadx - perceberá que a escolha do grupo ao montar a dramaturgia, foi em apresentar da forma mais simples e crua cada colocação. Assim não levando em consideração o uso exagerado de metáforas para tentar exemplificar um diálogo que deve ser direto e verdadeiro. 

 

O espetáculo percorrer outras vias para sua criação, dessa forma se tornando o ponto chave da proposta que foge dos modos “acadêmicos”. Nenhum momento a peça Não Especificadx deixa de trazer o conhecimento e a metodologia aprendida nas suas pesquisas, mas conseguem se desvencilhar dos vícios que se tornam confortáveis nesta caminhada. Percebe-se isso pelo fato de compreender que o público se interessa pelas abordagens feita em cena. Isso acontece pelo fato dos temas abordados não se tornarem desgastados nas vozes dos atores. Ou serem apresentados com rigidez e agressividade, a leveza encontrada no espetáculo convida a todos a debruçar seus corpos, mentes e observações para os atores e vivenciar aquele momento. 

 

Os atores Alessandra Bier e Ivan Nunes buscam encontrar cada um o seu lado feminino e masculino para abordar uma temática “não espeficidadx” de gênero. Essa proposta pode se tornar vazia quando percebemos que atualmente se fala dos assuntos sem a profundidade e conhecimento de cada um. Digo isso, pelo fato de muitas vezes encontrar em cena textos fortes, mais vazios nas bocas dos atores. Pois para trazer uma verdade sobre esse assunto deve se compreender e deixar que suas opiniões particulares não se misturem com as personagens. Esse entendimento cai sobre a peça Não Espeficidadx, pois eles caminham sobre o terreno que eles dominam, assim apresentando uma verdade simples e coerente. 

 

Quando digo simples não quer dizer raso, pelo contrário, existe conteúdo e verdade. Em Não Espeficicadx vi uma atriz - Ivan Nunes - utilizar do seu masculino (essência) para falar do feminino, o mesmo se deu com o ator - Alessandra Bier -, que buscou na sua forma, o modo mais puro de falar sobre o masculino. Ambos mostram que o homem pode ter sua mãe “terra” viva ou sua “masculinidade” aflorada, sem ser agressivos, mas naturais. Dessa forma o público se encontrou nas duas figuras que estavam à sua frente, souberam ouvir vozes que tinham alma, e concordaram e discordaram de cada diálogo apresentado. Essa simples visão acabou nos apresentando um teatro que soube dialogar brilhantemente com sua atualidade, sem esquecer da essência do ator. 

 

Outro ponto intrigante foi a forma que o grupo, que além dos atores é composto pela diretora Manu Goulart, escolheu mesclar textos considerados épicos para o teatro. Shakespeare foi citados algumas vezes. Suas colocações eram utilizadas como amarras nas críticas atuais de gêneros. Essas cenas ganhavam uma carga poética que nos leva a vivenciar uma sensação provocante. Pois os trechos se integram com uma naturalidade com as observações do grupo, que chegam a nos surpreender, quando nos damos conta do que eles querem nos dizer. Esses momento cênico se tornam especiais nas mãos dos atores e apreciativo para o público. Já em outros momentos, o diálogo é direto com quem está no teatro, muitas vezes olho no olho, como uma conversa intimista de ator e com a platéia. 

 

Acredito que estamos diante de um espetáculo delicado para os dias atuais. Essa delicadeza que se transforma num reconhecimento da nossa consciência. Levando a todos uma evolução de visão sobre si e o outro. Os atores ficam com seus troncos nu, ambos mostrando seus peitos, assim nos colocando o conceito de corpo - que corpo é corpo, e nada mais. O constrangimento abre espaço para o diálogo, para a entrega e a busca de sabedoria para conversar com a cena. Essa evolução se constrói a cada dia, a mudança brota neste encontro com a peça Não Especificadx e que também se vê numa metamorfose que logo se tornar grandiosa para o nosso teatro.

 

Não Especificadx aos poucos ganha forma e a cada nova apresentação deve se alimentar de novas falas e observações. Assim deixando claro que a sua potência só tem a crescer nos palcos gaúchos e se ampliar para um olhar nacional. Que a simplicidade continuem sendo o foco dessa conversa entre palco e platéia, pois o artista deve estar onde o povo está.   

 

Please reload

Our Recent Posts

November 11, 2019

November 1, 2019

October 21, 2019

Please reload

Archive

Please reload

Tags

Please reload