©2018 by Crítica e Diálogo. Proudly created with Wix.com

Ícaro

February 23, 2019

 

Foram os aplausos mais calorosos que vi neste Porto Verão Alegre. Luciano Mallmann contagia a todos com seu bom humor e nós presenteia com alguns relatos de pessoas que usam cadeira de rodas. A leveza da vida foi a forma escolhida para trazer átona tantas temáticas e assim acertar a platéia em cheio, que apreciava as narrativas de Luciano e permitiu-se rir e chorar. Talvez nenhum daqueles relatos tenham sido vivenciado de fato por cada um que estava ali. Só que Ícaro nos trás histórias, sonhos e problemática do homem. Estas que são tão naturais que vivem dentro de cada um.

A platéia no final do espetáculo se encontrava emocionada e desconstruída, em partes devido a relatos tão humanos, pessoais e provocativos. Mas também existia um outro ponto motivador para essa emoção total, que era o convide de viver que Mallmann faz subliminarmente na peça. Luciano é um homem cheio de presença no palco, que atrai o seu olhar e não a como desgrudar dele nenhum minuto. De inicio achei que era um homem serio e que estava até bravo ou distante daquele momento. Só que então a peça inicia e de cara Luciano abre um sorriso e mostra seu bom humor. E neste momento a platéia sorrir com ele e respira fundo ao ver a simpatia de Mallmann e todos se jogamos no espetáculo Ícaro, que se torna quase um bate papo, onde todos ficamos admirando as falas do ator, mas sempre querendo interagir com as narrativas.

Ao meu lado havia uma mulher que estava acompanhando sua irmã que era cadeirante. E foi incrível ver a reação dessa mulher diante das narrativas apresentadas em cena. Houve momentos que ela estava tão conectada que com as histórias que baixinho ela respondia as falas das personagens, como se estivesse participando dos diálogos. Essa pessoa ao meu lado se encantou com a filha que foi comemorar o aniversario e sofreu um acidente e relata sua vida com sua mãe e a sua relação. Essa relação entre filha e mãe é hilária pelo decorrer do enredo que acontece entre elas, e a mulher ao meu lado repetia varias vezes “Coitada dessa mãe. Lá vem a mãe. A mãe, tudo é mãe.” E claro achava aquilo divertidíssimos, pois teatro é isso e troca com o publico que deve se identificar com a cena.

E não para por aí, a moça ao meu lado ria boas gargalhadas com o rapaz que estava alucinando no hospital, após receber a medicação. Refletiu, baixinho, ao estar diante de ouro personagem que conta sobre o acidente de carro que ocorreu com ele e viu ao seu lado, o namorado morto. E as lagrimas vieram ao ver a história da moça que seu sonho era ser mãe, mas mesmo usando cadeiras de rodas, conseguiu realizar seu sonho. Numa gravidez de risco e uma profundidade imensa do ator ao narrar esse momento, leva não só a mulher ao meu lado, mas a todos a lagrimas de amor e esperança ao ouvirem atentamente o parto desse bebe.

Ícaro conta com mais narrativas do que essas exemplificadas. Uma delas é o próprio relato pessoal do ator Luciano e suas vivencia após um acidente ter dado um novo sentido para sua vida. E como ele construiu essa proposta que ele estava levando em cena. Não a como negar que é mais do que um ensinamento esse espetáculo, pois mostrar a sensibilidade do ator que observando suas narrativas fez com que isso se torna-se uma peça de teatro e ainda, levou para o palco relatos de pessoas desconhecidas mas que souberam lidar com a vida e fazer acontecer. 

Entre as narrativas, havia uma pausa, totalmente necessária. Se existisse ao lado de cada um da platéia um copo de água para tomar um gole e ajudar na respiração, seria utilizado. Pois a intensidade de cada história toca fundo na nossa consciência humana, que parece estar programada para reclamar e ver só o lado ruim das coisas. Sim! Coisas ruins acontece com todo mundo. Mas as histórias que Luciano trouxe, exemplificou que há pessoa com vontade de viver e conseguem a partir dos obstáculos da vida, tirar forças para continuar a caminhar sem medo, mas com felicidade.

Outra coisa que me chamou atenção foi o oficio apresentado em cena. Luciano Mallmann é o exemplo de disciplina e força de vontade. Encontrou no palco a forma de se expressar e levar os anseios e histórias de sua vida. O brilho no olhar do ator é algo que não passa despercebido, pois ali você vê amor, vida e fé. Um homem que usou a arte para libertar, compartilhar e mudar o mundo. E o teatro tem disso. O palco recebe a todos com muito zelo e respeito. Sempre soube da lugar e voz a todos que tinham algo para falar e transformar em arte. Feliz e emocionado em ver que o teatro e suas inúmeras formas e perceber que ser ator e ter alma, voz e disciplina.

Ícaro é um voou sem assas, mas cheio de imaginação, de amor que é contagioso que vem de Luciano Mallmann e que te faz sair do teatro estremecido e com gana e garra de viver. De valorizar a vida e respeitar o outro. De entender a dor e as alegrias aleias e ter humildade a ver que ninguém e melhor do que ninguém. Ícaro te dá assas na alma e vida no coração. Ícaro e a voz de quem sabe valorizar a vida e levar com bom humor esperança a quem for. 

 

Please reload

Our Recent Posts

November 11, 2019

November 1, 2019

October 21, 2019

Please reload

Archive

Please reload

Tags

Please reload