©2018 by Crítica e Diálogo. Proudly created with Wix.com

Um Palco Para Freud

February 20, 2019

 

 

Freud ganha voz. Uma delicadeza de espetáculo que merece seu aplauso. Fragmentos da história do criador da psicanálise que se misturam com fatos reais e com canções que se tornam extensão dessa narrativa, tudo isso para levar ao publico uma forma de contar sua história. A voz em todos as formas é a protagonista dessa peça que mexe com sua imaginação ao permitir ser levado pelos ritmos narrativos e situações vividas pro Freud.   

O silêncio e os passos dos atores/cantores chegando ao palco. O som dos sapatos batendo no tablado se tornam um convite para esquecer o mundo e se conectar com o que acontecia bem ali, em frente aos nossos olhares. Ali se inicia uma experiência única e transformadora. Freud já é por si só uma curiosidade humana de quase todas as gerações. Mas ele ganha um ar mais elevado na voz de Deborah Finocchiaro que consegue nos proporcionar os melhores encontros com esse ícone da história mundial.

A voz teatral e expressiva da atriz, narrando à história de Freud faz com que possamos imaginar cada cena, situação e emoção. O poder da sua voz é perfeito e no tom certo ela consegue mexer com o nosso “faz de conta”. Não tinha como não materializar as narrativas dessa vida, das lembranças, dos contos que Freud passou e viveu. Seus medos, encontros e desencontros, suas aprendizagens e seu caminho. Esse texto chega ao público em forma de literatura, como se fosse uma contação de histórias.

Um palco para Freud é apresentado pelas palavras. Deborah além da sua suavidade na voz e sua verdade na narrativa, chama atenção pelas sobrancelhas que se movem sem parar e se destacam em sua narrativa. Com a voz víamos Freud e seus familiares, pessoas que conviveram com ele, suas alegrias, tristezas, dúvidas e reflexões. A história vai se materializando, quando damos atenção a narrativa e ela ganha ritmo e melodia nas musicas que são destaques nesse enredo. A voz de Beto Herrmann se torna poética e dá um ar de delicadeza nessa história real e humana.

É encantador ver a troca entre Finocchiaro e Herrman, há momentos em que ambos protagonizam diálogos entre personagens que lhe deixa comovido pela sua atuação. Tudo isso por que eles conseguem, a partir da voz mexer com nossa imaginação e estimular nosso faz de conta. Não tem como se distrair dessa proposta, pois o palco está nu e assim, faz com que você utilize a grande ferramenta que tens a sua imaginação. E dela se vivencia momentos de emoção, alegria, tristeza, poesia, drama e o mais interessante, momentos reais, de situações que nós próprios vivemos e pensamos.

Dessa forma tão simples Freud chega até o publico, cru e humano. Mostrando que todos podemos ver Freud como homem, ser humano e não só suas teorias. Também não menosprezando suas descobertas e conquistas.  Mas conseguimos nos aproximar dele com mais naturalidade, fazendo que assim possamos ter mais interesse das suas questões e colocações de mundo. Pois Freud antes de tudo era pessoa e ganhou voz no mundo apartir das suas vivencias que mudaram suas observações de mundo e o ajudaram a chegar onde chegou. E da mesma forma “Um Palco para Freud” da voz a este ícone.

Existe inúmeras formas de contar uma história. Mas nenhuma história se faz verdade ao outro se não acreditamos nos que contamos. Sendo uma história real ou não, os cantores atores Deborah Finocchiaro e Beto Herrmann acreditam tanto em Freud que tem amor em contar sua história. A tanto zelo no projeto que os caminhos da vida de Freud se tornam poesia, letra e musica. Dessa forma, utilizando o palco e inúmeras vertentes da arte eles permitem Freud ganhar mais uma vez o destaque no foco da humanidade.

Please reload

Our Recent Posts

November 11, 2019

November 1, 2019

October 21, 2019

Please reload

Archive

Please reload

Tags

Please reload