©2018 by Crítica e Diálogo. Proudly created with Wix.com

Vim Buscá-lo

November 7, 2018

 

O grupo (A)Temporal sempre teve um cuidado de abordar em cena temáticas que dialogam com o público. Com a peça “Vim buscá-lo”não foi diferente. Usando como enredo o idoso e suas variadas formas de relações, trouxeram seis histórias pessoais que acabam se esbarrando entre si e produzindo novas relações ou reencontros.

A noite de estreia aconteceu no FEITO – Festival Independente de Teatro em Caxias do Sul, com a direção de Cristian Beltrán. O texto é produzido pelos próprios atores, que ficaram um ano desenvolvendo esse enredo, assim lapidando capa personagem com muito cuidado e deixando como foco as lembranças que fazem um paralelo com a atualidade do personagem.

A cada cena desenvolvida em “Vim Buscá-lo”, sentia crescer algo dentro de mim. O texto aproxima ao público com a intenção de ilustrar nossas atitudes diante dos idosos, logo, não tinha como não perceber a familiaridade que estava diante de nós.Entre risos e suspiros, percebia que o público sabia muito bem o que estava sendo jogado em cena. Vi a filha levar seu pai para morar num asilo e perceber a frustração num diálogo distante e sem afeto.Fui mostrado o quanto somos frios e arrumamos“tempo para aquilo que achamos importante”.

A emoção é o condutor desse espetáculo que mostra que todos ficarão velhos, alguns arrependidos dos seus caminhos, outros felizes com suas escolhas e outros sabendo que fizeram o certo. Tudo isso muito bem exemplificado com a carreira de uma grande atriz que havia trocado os grandes palcos dos teatros, pela pequena sala de estar. Ou do velho soldado que enfrentou tantas batalhas e perigos para chegar ao momento mais importante da sua vida, que era enfrentar seus próprios medos. E tem aquele zelo da esposa querida com seu marido, que mesmo com sequelas da vida, nunca deixou de o amparar. São tantos encontros e histórias abordadas de uma forma especial.

Vendo essas narrativas, percebia que algumas dessas personagens apresentadas sofriam com a solidão, muitas vezes esperavam que outros mudassem esses sentimentos. Era quase uma ilusão, pois no ambiente que estavam, o convívio entre eles provocava novas relações, que se misturavam com o passado e o presente, assim vivenciando uma nova fase da vida.

Mesmo assim, “Vim Buscá-lo” nos provoca a pensar e observar nossas relações com o outro e como lidamos com a velhice. Esquecemos que um simples gesto pode reverberar diferente para o outro. Nossas atitudes deveriam sempre ser de acolhimento e amor, mesmo que sejam breve, mas que esses pequenos momentos se tornem especiais.

Ao final, um nó estava na minha garganta. Saí de lá sem querer conversar muito com as pessoas, para conseguir digerir aquele momento único e zeloso. Espero que essa peça possa emocionar muitas pessoas da Serra Gaúcha e que essa ilustração levada em cena possa reverberar nas nossas ações e escolhas.

 

Foto: Leandro Foscarini

Please reload

Our Recent Posts

November 11, 2019

November 1, 2019

October 21, 2019

Please reload

Archive

Please reload

Tags

Please reload