©2018 by Crítica e Diálogo. Proudly created with Wix.com

O gigante chamado Imaginação

August 15, 2018

                                                Foto: Tem Gente Teatrando  

 

A peça Escravo de Jó leva ao um reencontro com o lúdico. A partir de uma cantiga popular e universal, desenvolve-se em cena um roteiro que brinca com palavras, música e imaginação – um espetáculo para todos aqueles que ainda conseguem sonhar, mesmo que o céu esteja nublado.

No teatro estão crianças, aproximadamente quarenta delas, entre cinco ou seis anos – e eu. O clima gelado não deixava a Casa da Cultura de Caxias do Sul tão calorosa naquele tarde, mas em poucos minutos se aquecia cada vez mais com tantas risadas e encantamento dos pequenos.

Quatro atores representam crianças que se juntam num quintal, onde há um varal com roupas secando. Este ambiente é propício para uma grande aventura entre os amigos, que “não tinham nada” para utilizar na sua brincadeira, mas aquelas roupas e tecidos coloridos que haviam sido lavados se transformam em seus instrumentos para a jornada. Os amigos cantam Escravo de Jó e assim decidem juntos libertar os escravos do terrível gigante Jó.

Nesta hora a magia acontece! Os tecidos e roupas que estão no varal, acabam sendo manipulados pelos atores, que vão criando uma composição cênica que estimula a imaginação. No fundo do palco, criam árvores gigantes que formam um bosque, o tecido comprido vira um rio – turvo, de lágrimas, calmo – e as peças de roupas são os figurinos desses personagens que vivem no bosque.

Observando aquela magia, percebia que o meu corpo não conseguia parar quieto na cadeira, o sorriso não saía do rosto, o brilho nos olhos eram presentes e os sonhos voltaram a pular na mente.

O roteiro conseguiu chegar próximo ao mundo das crianças. Gostoso de ver que os atores iam criando a historia desse gigante Jó e a jornada até seu castelo a partir de conversas entre eles. Entretanto, nem sempre as idéias eram aceitas pelos companheiros, assim acusando pequenas brigas que logo se transformavam em diversão. Compreende entre as falas, que a ingenuidade e inocência das crianças facilita novos argumentos e soluções para todo problema encontrado na brincadeira, que não deve parar.

Esse projeto, que faz parte da Escola Tem Gente Teatrando, está em cartaz desde 2011 e já arrecadou alguns prêmios e elogios de muitas pessoas. No elenco, encontramos quatro atores que estão há algum tempo nessa caminhada teatral da Serra Gaucha: Sara Fontana, Priscila Weber, Darlan Scheid e Celso Santos. Mostram um domínio cênico que reverberou naquela pequena platéia – e, como dizem que criança é sincera e não esconde as emoções, aquela sessão foi um sucesso.

As crianças lotaram o teatro com alegria e bom humor. Era tudo divertido, pois ali havia atores mostrando o poder de imaginar e sonhar, de brincar e viver, da leveza que é a vida. Todos os obstáculos da caminhada humana estão neste roteiro de Escravo de Jó, que acalma os corações dos sonhadores por lembrar que nenhuma jornada é tão pesada se soubermos enfrentar com amor e sinceridade.

Please reload

Our Recent Posts

November 11, 2019

November 1, 2019

October 21, 2019

Please reload

Archive

Please reload

Tags

Please reload